quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Despedida

Tomé e Bento brincando de esconde-esconde (arquivo/2017)
Não, não é um título de impacto. Estou me despedindo mesmo. Do blog Bendito Espectro e da página do Facebook que me possibilitou o contato com pessoas e histórias emocionantes e permitiu que eu apresentasse um pouco da história da minha família desde que o autismo do meu filho Bento se revelou para nós, pouco antes dele completar três aninhos, em 2015.

Neste mesmo ano iniciei um blog em modo privado, só eu lia o que escrevia, uma espécie de diário, registro, para aprender a lidar com tanta coisa nova, tantas descobertas que me tiraram o sono antes de meu coração sossegar no sossego do entendimento. Sim, ainda me pego em desassossego por motivos novos, por motivos antigos que renascem, por fragilidade. Quando lhes disserem que o autismo é uma montanha-russa acreditem, porque é verdade.

Meses depois de iniciar a escrita, avaliei que seria bom compartilhar o conteúdo que estava gerando, uma chance de aprender no coletivo, conversar com outras famílias, abrandar a solidão dos primeiros tempos. Não foi uma decisão fácil, redes sociais geram a exposição de pessoas e sentimentos e quase nunca é simples dosar. As palavras que escrevo e publico são minhas, mas a vivência é conjunto. Procurei respeitar limites e acredito que me saí bem na maioria das vezes. Avalio positivamente minha presença nas redes, embora ainda hoje não saiba lidar bem com elas enquanto ferramenta – e me atrapalho toda.

Em 2017 minha família se mudou do Nordeste para o Sul, foi algo brusco para nós – dois guris, uma mulher, um homem e uma gata – e é claro que a vida real engoliu um pedaço enorme da vida virtual, que já era pequenininha. Filhos crescendo, terapeutas, escolas, profissões, clima, trajetos, finanças, saudade, (…), tudo passou a depender de uma nova reação, de um novo olhar, uma nova configuração.

Mesmo tentando postar com um prazo razoável, o blog ficou meio às moscas, fiz postagens no Facebook cujos comentários de muitos usuários jamais tiveram respostas, alguns foram lidos apressadamente, outros não foram lidos – com o perdão da verdade. Não é dessa maneira que gosto de me relacionar nem com as pessoas nem com o que produzo. O fato é que produzi bastante e considero a decisão de parar digna como a decisão de começar.

Bento e Tomé estão crescendo a jato, cada qual com suas demandas. Agora mesmo, um está em fase de perder os dentes de leite e o outro de desfraldar. Ah, sem esquecer as férias escolares. Estou aqui sentada escrevendo esse post de despedida, mas poderia estar penteando o cabelo, tomando um banho decente, esticando as pernas amarelas e peludas no sofá, com um livro nas mãos até cochilar, pois já são mais de dez da noite e eles dormem como meninos cansados de folia ou só recarregam as baterias para amanhã. E me desculpem o gerundismo, já fiz coisas piores (risos).

Talvez eu esteja querendo descansar um pouco e como há muitos itens na minha lista de prioridade que jamais poderei riscar, vou mesmo deixar que a corda se arrebente deste lado mais imaterial, que é o universo virtual. Ratifico o “riscar”, pois o que vivemos não merece ou pode ser apagado, por isso o que gerei de conteúdo permanecerá para eventuais consultas, partilha, enfim. Não pretendo alimentar outros perfis em redes sociais.

Obrigada pelo carinho, pelo respeito e admiração que trocamos neste período. Bento e Tomé saberão de vocês e do papel que tiveram em nossa jornada.

Tentem a felicidade!
Isolda.

p.s.1: deixo links para blogs com a temática maternidade e autismo que amo muito e gostaria que seguissem – se já não seguem. Detrás deles, duas mães sensíveis e antenadas, Fausta e Andrea, as melhores! Mundo da Mi http://mundodami.com/ Lagarta Vira Pupa http://lagartavirapupa.com.br/ p.s.2: deixo meu e-mail, porque sou assim mesmo, quase analógica e até mando carta (risos), isoldaherculano@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário